Nossa saudade

Carim
Adib
Alfredo
Belisário
Mariazinha
Odeto
Delazir

Outros e outras, irmãos e irmãs, que estiveram conosco, mantendo o Restaurante Infantil de Marília ativo, crescente e prestativo, durante toda esta nossa trajetória, a nossa homenagem e a nossa saudade.
A memória de todos temos reverenciado com constância, em nossas atividades, reuniões e eventos, mas, mesmo assim, é muito pouco ou quase nada se avaliarmos o enorme potencial missionário de cada um.
Isso tudo que dissemos e que sentimos, está sintetizados no poema abaixo, de URIEL RUIZ ETELLI, dedicado funcionário do Banco do Brasil – Marília (SP), já falecido, e que teve uma existência de trabalho, moral, ética, e ajuda a entidades e a pessoas necessitadas.

Um dia, talvez, seremos saudade!

Qual a direção da morte?
Leste, oeste, sul, norte?
Todas?
Nenhuma?
Você tem preferência por alguma?
Qual a direção da morte?
Será que ela depende de sorte?
Não?
Sim?
O que você tem a dizer, enfim?
Qual a direção da morte?
Leste, oeste, sul, norte?
Todas?
Nenhuma?
Adianta ter preferência por alguma?
Penso que não.
Nenhuma preferência vai alterar a realidade da morte.
Importa é olhar bem nas direções da vida.
Importa é não gastar a vida com mentiras, ilusões.
Importa é ganhar a vida em todas as direções.
Que em todas caminhamos para o além – eu e você, também.
Importa é caminhar bem, pra qualquer lado.
Importa lembrar que um dia, num dia-de-finados, que um dia nós seremos “finados” também!
E, talvez, nalgum olhar umedecido, faremos brotar uma saudade.
Importa que essa saudade conte uma história de alguém que não foi inútil.
Importa que essa história seja produto da verdade.
Verdade que dê sentido a esse olhar umedecido e revestido de saudade.